Medtronic

Glossário

TERMOS VENOSOS

Insuficiência Venosa Crônica (IVC)

IVC é uma condição médica progressiva, que pode piorar ao longo do tempo, afetando as veias e vasos da perna que transportam o sangue pobre em oxigênio de volta para o coração. Sinais e sintomas da IVC podem incluir dor, inchaço e cansaço nas pernas, bem como danos de pele e úlceras. IVC é muitas vezes precedida por varizes.1

Anatomia venosa da perna

O sistema venoso da perna compreende uma rede de veias, incluindo:

  • Sistema venoso superficial: veias localizadas perto da superfície da pele. Existem dois principais vasos do sistema venoso superficial:
  • Veia Safena Magna (VSM): Uma grande veia superficial da perna anterior que vai do tornozelo, pelo lado de dentro da perna e coxa, até desaguar numa veia profunda na virilha, chamada veia femoral;
  • Veia Safena Parva (VSP): Uma veia superficial da perna, que corre do lado de fora do pé, viajando pela parte posterior da panturrilha até desaguar numa veia profunda na dobra do joelho, chamada veia poplítea;
Veias
  • Veias profundas: Veias maiores localizadas profundamente nos músculos da perna;
  • Veias perfurantes: Veias que conectam as veias superficiais às veias profundas. As veias perfurantes são como os degraus na escada do sistema venoso da perna.
Veias

* O Procedimento de radiofrequência se destina para uso apenas em veias superficiais.

Varizes

Veias da perna, que se dilatam e têm válvulas doentes ou danificadas, são conhecidas como varizes. Podem surgir quando as válvulas das veias que regulam a direção do fluxo sangüíneo estão danificadas ou doentes, enfraquecidas ou já não funcionam corretamente. Em vez do sangue fluir em direção ao coração como deveria, o sangue permanece no local e se acumula na veia da perna.2

Vasinhos

Os vasinhos, que muitas vezes cobrem as pernas, são veias semelhantes às varizes, só que mais finas. Apresentando-se vermelhas ou de cor azul e como finas teias de aranha ou ramos, essas veias estão mais próximas da superfície da pele e podem se espalhar por uma variedade de áreas. Ao contrário das varizes, os vasinhos normalmente não se projetam acima da superfície da pele. Os vasinhos podem ser tratados com escleroterapia ou tratamento a laser. Embora os vasinhos possam estar associados com varizes ou IVC, o problema é visto como estético e o tratamento é geralmente considerado eletivo.2

Válvula da veia

As veias das pernas saudáveis contêm válvulas ou pequenos retalhos de tecido delicado, que abrem e fecham para ajudar a regular o fluxo sanguíneo para o coração. Estas veias são concebidas para permitir que o sangue flua contra a gravidade das pernas de volta para o coração. As válvulas ajudam a controlar o fluxo de sangue para fazer isso acontecer. Com a idade e outras tensões sobre o corpo1, estas válvulas podem enfraquecer e perder a capacidade de regular a direção da circulação do sangue.

Válvulas
Refluxo venoso

O refluxo venoso é o termo que descreve o que acontece quando as válvulas nas veias estão fracas ou danificadas e perdem a capacidade de regular a direção de fluxo do sangue. Quando o sangue “vaza” para baixo após uma válvula ruim, é chamado de refluxo. Refluxo faz com que o sangue se acumule nas veias das pernas ao invés de se mover para cima em direção ao coração.

Úlcera

Se a IVC é deixada sem tratamento, feridas dolorosas, chamadas úlceras, às vezes podem se desenvolver na superfície da pele das pernas. Úlceras podem indicar um estado mais grave e progressivo da doença.1 Úlceras normalmente aparecem perto dos tornozelos ou na parte inferior da perna e surgem pelo aumento da pressão do fluido e pelo acúmulo de sangue nas veias afetadas pela IVC.1

TERMOS DIAGNÓSTICOS

Exame ultrassom duplex

Este é um exame normalmente utilizado para o diagnóstico de varizes ou IVC, que utiliza ondas sonoras para medir a velocidade do fluxo sanguíneo nos vasos. O exame de ultrassom também produz uma imagem da estrutura da veia, proporcionando aos médicos a visualização das veias, danos na válvula e as obstruções nas veias que podem estar causando a IVC.

Doppler de onda contínua

Esta é uma forma antiga de detecção da IVC, em que os médicos usam um dispositivo de mão que gera ondas de ultrassom para medir a velocidade do fluxo sanguíneo nas veias. Esta ferramenta usa som audível para ouvir o fluxo de sangue e detectar válvulas da veia que não estão funcionando corretamente.

Venograma

Este é um teste que utiliza imagens de raios-X para visualizar os vasos sanguíneos da perna. Este exame envolve um corante injetado, chamado contraste, o que faz com que o sangue em suas veias apareça em um Raio-X. O médico estuda as imagens no Raio-X para detectar obstruções nas veias que podem desenvolver a IVC.

Pletismografia

Este exame utiliza manômetros colocados na perna. Enquanto um manguito é inflado e então esvaziado em tempos determinados, o segundo mede as alterações no volume do fluxo sanguíneo na perna à medida que as veias enchem e esvaziam.

TERMOS DE TRATAMENTO

Escleroterapia

Escleroterapia é um tratamento de varizes e vasinhos sob anestesia local, em que um medicamento é injetado nas veias afetadas. O medicamento engrossa as paredes dos vasos, selando-os para que as veias anormais não se encham de sangue. Após um tratamento bem sucedido, a veia doente vai ser absorvida pelo corpo e o fluxo sanguíneo será redirecionado para outras veias.

Ligadura e fleboextração

Esta combinação de procedimentos normalmente é realizada sob anestesia geral por um médico em regime ambulatorial. Em primeiro lugar, o cirurgião vai realizar a ligação, em que a veia doente é amarrada. Em seguida, o cirurgião irá remover cirurgicamente a veia doente através de duas pequenas incisões na virilha e tornozelo.

Flebectomia

É um minitratamento cirúrgico para remover pequenas varizes das pernas. As veias são removidas através de uma série de pequenas incisões na perna e o procedimento é realizado sob anestesia local, com um mínimo de cicatrizes.

Cateter

Cateteres são tubos longos e finos, extrudados a partir de materiais de grau médico, utilizados em tratamentos endovenosos de ablação minimamente invasiva para varizes. O processo de inserção de um cateter dentro do corpo é chamado de cateterismo.

Endovenosa

“Dentro” ou por meio de uma veia.

Ablação endovenosa

Um tratamento que envolve a inserção de um fino tubo flexível, chamado cateter, na veia para fechá-la através do aquecimento da ponta do cateter ou do segmento. Após a veia ser selada, o sangue é redirecionado para outras veias de volta ao coração. A veia tratada, em seguida, seca, encolhe e é absorvida pelo corpo. Existem dois tipos de tratamentos de ablação endovenosas disponíveis:

Ablação por radiofrequência

Este procedimento minimamente invasivo usa energia de radiofreqüência em ciclos de20 segundos para fornecer calor e contrair o colágeno nas paredes das veias, levando-as a entrar em colapso e selar. O procedimento é uma opção de tratamento minimamente invasivo que usa a ablação por radiofreqüência para selar a veia afetada para que o sangue seja redirecionado para outras veias.

Ablação a laser

Este procedimento minimamente invasivo fornece energia a laser para aquecer o sangue, coagulando-o, o que em última análise faz com que a veia doente seja fechada. Os dispositivos a laser têm frequências que variam de 810 a 1470 nanômetros (nm).

Quer saber mais, entre em contato

Clique aqui

Referências:

1.  “Chronic Venous Insufficiency.” Vascular Web. Society for Vascular Surgery, Jan. 2011. Web. http://www.vascularweb.org/vascularhealth/Pages/chronic-venous-insufficiency.aspx.

2. “Varicose Veins and Spider Veins.” Department of Health and Human Services, June 2010. Web. http://www.womenshealth.gov/publications/our-publications/fact-sheet/ varicose-spider-veins.pdf.