Medtronic

Perguntas Mais Frequentes

O QUE SÃO VARIZES?

Varizes são veias dilatadas que podem apresentar coloração azul, vermelho ou cor da pele. Muitas vezes se projetam acima da pele nas pernas e se assemelham a cordões retorcidos. Varizes ocorrem quando as válvulas das veias que regulam a direção do fluxo de sangue das pernas em direção ao coração já não funcionam, fazendo com que o sangue se acumule. Muitas vezes mal interpretadas como um problema estético, varizes podem às vezes evoluir para a IVC, que é uma doença mais grave.1

O QUE SÃO VASINHOS?

Os vasinhos, que muitas vezes cobrem as pernas, são veias semelhantes às varizes, só que mais finas. Apresentando-se vermelhas ou de cor azul e como finas teias de aranha ou ramos, essas veias estão mais próximas da superfície da pele e podem se espalhar por uma variedade de áreas. Ao contrário das varizes, os vasinhos normalmente não se projetam acima da superfície da pele. Os vasinhos podem ser tratados com escleroterapia ou tratamento a laser. Embora os vasinhos possam estar associados com varizes ou IVC, o problema é visto como estético e o tratamento é geralmente considerado eletivo.4

O QUE É INSUFICIÊNCIA VENOSA CRÔNICA (IVC)?

IVC é uma condição médica progressiva em que as válvulas que regulam a direção do fluxo de sangue das pernas para o coração já não funcionam, fazendo com que o sangue se acumule nas pernas, dilatando as veias. Veias das pernas saudáveis permitem que o sangue flua contra a gravidade das pernas de volta para o coração. Pequenas válvulas no interior das veias abrem e fecham para ajudar a controlar o fluxo e a pressão. A IVC ocorre quando as tensões sobre o sistema venoso - como a gravidez, a idade ou longos períodos de tempo em pé2 – enfraquecem a estrutura da veia. Quando as veias se tornam enfraquecidas ou doentes, as válvulas da veia não promovem o fluxo de sangue eficientemente e há acúmulo de sangue nas pernas. Este fluxo sanguíneo prejudicado (ou refluxo) faz com que as veias se expandam, percam a forma e se projetem acima da pele.

QUEM TEM RISCO DE DESENVOLVER IVC?

Enquanto a IVC pode afetar qualquer pessoa, o sexo e a idade são grandes fatores que podem aumentar o risco de desenvolver a doença. Por exemplo, mulheres com mais de 50 anos estão mais propensas que outras a desenvolver a doença venosa que pode levar à IVC. A doença pode afetar vários membros da mesma família. Além disso, os seguintes fatores podem aumentar o risco de desenvolver varizes, as quais às vezes podem progredir para IVC2: falta de exercício, estilo de vida que requer longos períodos de tempo em pé, excesso de peso ou gestações anteriores.

VARIZES E IVC PODEM SER PREVENIDAS?

Para formas leves da doença venosa, alterações no estilo de vida podem ser recomendadas para controlar os sintomas existentes e evitar outros. As seguintes medidas podem ajudar a controlar as varizes e a IVC:3 Administrar a pressão arterial e o peso corporal; Praticar exercícios regularmente, com foco em exercícios que trabalham as pernas (correr ou caminhar); Elevar as pernas sempre que possível; Evitar períodos prolongados em pé ou sentado; Evitar roupas apertadas em torno da cintura, coxas e pernas; Fortalecer os músculos da panturrilha e evitar sapatos que limitam a utilização dos músculos da panturrilha (ou seja, saltos altos); Manter uma dieta com pouco sal e alimentos ricos em fibras. Como as varizes nem sempre podem ser evitadas, é importante conversar com um médico especialista em veias sobre as opções de tratamento antes que a doença progrida para IVC ou os sintomas piorem.

O QUE PODE ACONTECER SE EU NEGLIGENCIAR MINHAS VARIZES OU SINTOMAS DA IVC?

Tratamentos para veias doentes podem ser eficazes na eliminação das varizes e sintomas da IVC e também prevenir a evolução da doença. Se deixadas sem tratamento, as varizes podem por vezes evoluir para IVC, uma forma mais grave de doença venosa1, que pode apresentar sinais e sintomas ao longo do tempo cada vez mais severos. Esses sintomas podem incluir inchaço no tornozelo, cansaço, inquietação e dor nas pernas, danos na pele e úlceras.2

COMO POSSO TRATAR AS VARIZES OU IVC?

Felizmente, as varizes e a IVC podem ser tratadas. O procedimento de radiofrequência é um tratamento minimamente invasivo que usa a ablação por radiofreqüência (calor) para vedar a veia com problema para que o sangue seja reencaminhado para outras veias. Indicado para a coagulação endovascular dos vasos sanguíneos em pacientes com refluxo superficial, o procedimento de radiofrequência permite uma recuperação curta, confortável e um rápido retorno às atividades diárias.5,6

POSSO PASSAR POR UMA TRIAGEM PARA VARIZES OU IVC?

Sim, o diagnóstico da IVC é feito através de um simples exame de ultrassom não-invasivo realizado por um médico especialista em veias. Uma simples autoavaliação pode lhe dizer se você deve considerar uma visita a um especialista em veia para fazer uma triagem.

COMO POSSO SABER SE EU TENHO IVC?

Se você acha que está sofrendo de varizes ou sintomas mais graves, como inchaço e dor nas pernas, que podem ser indicativos de IVC, faça a autoavaliação para ver se você deve procurar um médico especialista em veias para falar sobre diagnóstico e tratamento. Apenas um médico pode fazer o diagnóstico de varizes e IVC.

O MÉDICO DA MINHA FAMÍLIA ME DISSE QUE EU NÃO PRECISO ME PREOCUPAR COM MINHAS VARIZES. ISSO É VERDADE?

Todas as varizes têm potencial para evoluir e se tornar IVC, mas nem todas as varizes resultam em IVC. Muitos médicos desencorajavam o tratamento quando a remoção da veia era a única opção de tratamento disponível. No entanto, com os tratamentos minimamente invasivos, como o procedimento de radiofrequência atualmente disponível, qualquer pessoa com varizes deve consultar um médico especialista em veias para receber o diagnóstico correto.

O QUE POSSO FAZER SE ALGUÉM QUE EU CONHEÇO PARECE TER VARIZES OU TEM RISCO PARA IVC?

Como as varizes e IVC apresentam sinais reconhecíveis e sintomas e podem ser desencadeadas pelo estilo de vida e fatores genéticos2, você pode informar aqueles que possam estar em risco. Incentive-os a conferir este site, fazer sua autoavaliação e buscar orientação médica.

Quer saber mais, entre em contato

Clique aqui

Referências:

1. Gloviczki, P., MD., Comerota, A., MD., Dalsing, M., MD., Eklof, B., MD., Gillespie, D., MD., Gloviczki, M., MD.,Wakefield, T., MD. The care of patients with varicose veins and associated chronic venous diseases: Clinical practice guidelines of the Society for Vascular Surgery and the American Venous Forum. J Vasc Surg. 2011 May; 53(5 Suppl): 2S-48S.

2.  “Chronic Venous Insufficiency.” Vascular Web. Society for Vascular Surgery, Jan. 2011. Web. http://www.vascularweb.org/vascularhealth/Pages/chronic-venous-insufficiency.aspx.

3. “Varicose Veins and Spider Veins.” Department of Health and Human Services, June 2010. Web. http://www.womenshealth.gov/publications/our-publications/fact-sheet/ varicose-spider-veins.pdf.

4. “Spider Veins-Frequently Asked Questions (FAQ’s).” VeinDirectory.ord. HealthNews.org. May 2007. http://www.veindirectory.org/faq/spiderveins-faq.asp#4

5. Lurie, F, et al. Prospective randomized study of endovenous radiofrequency obliteration (Closure procedure) versus ligation and stripping in a selected patient population (EVOLVeS Study), J Vasc Surg 2003; 38(2):207-14.

6. Hinchliffe, RJ, et al. A prospective randomized controlled trial of VNUS Closure versus Surgery for the treatment of recurrent long saphenous varicose veins. Eur J Vasc Surg 2006 Feb; 31; 2: 212-218.