Medtronic

Procedimento de Radiofrequência para Varizes
Perguntas e Respostas

Como o procedimento de Radiofrequência difere da ligadura e fleboextração?

Durante a fleboextração, são feitas incisões na virilha e no tornozelo e uma ferramenta é introduzida através da veia afetada para a sua remoção da perna. O procedimento de radiofrequência é minimamente invasivo. Em contraste com a fleboextração, a veia é fechada usando o calor emitido por um cateter inserido através de uma pequena incisão abaixo do joelho. A remoção da veia é geralmente realizada em uma sala de cirurgia sob anestesia geral, enquanto o procedimento de radiofrequência é freqüentemente realizado em ambiente ambulatorial, geralmente usando anestesia local ou regional.

Como o procedimento de Radiofrequência difere da ablação a laser?

Esse procedimento utiliza energia de radiofreqüência em ciclos de 20 segundos para fornecer calor e contrair o colágeno nas paredes das veias, levando-as a entrar em colapso e selar. O procedimento de radiofrequência é uma opção de tratamento minimamente invasivo que usa a ablação por radiofreqüência para selar a veia afetada para que o sangue seja redirecionado para outras veias.
Ablação a laser fornece energia a laser para aquecer o sangue, coagulando-o, o que em última análise faz com que a veia doente seja fechada. Os dispositivos a laser têm frequências que variam de 810 a 1470 nanômetros (nm). Ao contrário do procedimento de radiofrequência, temperaturas de laser podem chegar a mais de 729° C. 1 O tratamento de ablação a laser 980 nm pode potencialmente levar a mais hematomas e dor pós-procedimento em comparação ao procedimento de radiofrequência.1 O Estudo Recovery de 2009 comparou a experiência dos pacientes tratados com o procedimento de radiofrequência e aqueles tratados com ablação a laser 980 nm. Os resultados demonstraram claramente que, para a maioria dos pacientes: O procedimento de radiofrequência resultou em menos dor, menos hematomas e menos complicações2. O procedimento de radiofrequência provou ser mais rápido na melhoria da qualidade de vida dos pacientes.2

Quanto tempo demora o Procedimento de Radiofrequência?

O procedimento de Radiofrequência normalmente leva cerca de 45-60 minutos. A maioria dos pacientes fica de 2 a 3 horas no centro médico devido aos procedimentos normais de pré e pós-tratamento.

Será que o procedimento de Radiofrequência requer anestesia?

O procedimento de radiofrequência pode ser realizado sob anestesia local, regional ou geral. É geralmente realizado com anestesia local por um médico especialista em veias numa instalação ambulatorial.

Após o procedimento de Radiofrequência, com que rapidez eu posso retornar às atividades normais?

Muitos pacientes retornam às atividades normais rapidamente, normalmente dentro de alguns dias.3 Por algumas semanas após o tratamento, um médico especialista em veias pode recomendar um regime de caminhada regular e sugerir que você se abstenha de atividades muito extenuantes (ou seja, trabalho pesado) ou períodos em pé prolongados.

Com que rapidez meus sintomas irão melhorar após o procedimento de Radiofrequência?

A maioria dos pacientes relata uma melhora notável em seus sintomas dentro de 1 a 2 semanas após o procedimento. 2

Posso esperar hematomas ou sensibilidade após o procedimento de Radiofrequência?

Embora seja possível sentir dor, sensibilidade ou apresentar hematomas após o tratamento, muitos pacientes relatam um mínimo de cicatrizes, hematomas ou inchaço após o procedimento de Radiofrequência. Fale com o seu médico especialista em veias para saber mais sobre o Procedimento de Radiofrequência, seus riscos e resultados. 4

Quais riscos e complicações potenciais estão associados ao procedimento de Radiofrequência?

Tal como acontece com qualquer intervenção médica, potenciais riscos e complicações podem acontecer com o procedimento de radiofrequência. Uma consulta com um médico especialista em veias irá determinar se a sua condição apresenta algum risco especial. Ele também irá avaliar potenciais complicações associadas com o Procedimento de Radiofrequência, que podem incluir, mas não estão limitadas a: perfuração de vasos, trombose, embolia pulmonar, flebite, hematoma, infecção, parestesia (formigamento), descoloração da pele, queimadura de pele e/ou lesão do nervo adjunto.

O procedimento de Radiofrequência é apropriado para todos?

Um médico especialista em veias pode dizer se o procedimento de radiofrequência é a opção certa para o seu problema venoso. Muitos pacientes com varizes e insuficiência venosa crônica podem ser tratados com o procedimento de radiofrequência.

A idade é uma condição importante para o Procedimento de Radiofrequência?

O passo mais importante para determinar se o procedimento de radiofrequência é adequado para você é um exame de ultrassom realizado por um médico especialista em veias. Idade isoladamente não é um fator para determinar se o procedimento de radiofrequência é ideal para você. O procedimento de radiofrequência tem sido usado para tratar mulheres e homens em uma ampla faixa etária. Fale com um médico especialista em veias para determinar se o procedimento de radiofrequência é ideal para você.

O que acontece com a veia tratada deixada na perna? Não vou precisar dela?

Após o tratamento, a veia afetada torna-se um tecido fibroso. Ao longo do tempo, a veia será absorvida pelos tecidos circundantes e o sangue será redirecionado para outras veias.

Quer saber mais, entre em contato

Clique aqui

Referências:

1. Weiss, RA. Comparison of Endovenous Radiofrequency Versus 10 nm Diode Laser Occlusion of Large Veins in an Animal Model. Dermatol Surg 2002;28:56-61.

2. Almeida JI, Kaufman J, Göckeritz O, et al. Radiofrequency endovenous ClosureFast versus laser ablation for the treatment of great saphenous reflux: a multicenter, single-blinded, randomized study (RECOVERY Study). J Vasc Interv Radiol. 2009;20:752-759.

3. Lurie, F, et al. Prospective randomized study of endovenous radiofrequency obliteration (Closure procedure) versus ligation and stripping in a selected patient population (EVOLVeS Study), J Vasc Surg 2003; 38(2):207-14.

4. Hinchliffe, RJ, et al. A prospective randomized controlled trial of VNUS Closure versus Surgery for the treatment of recurrent long saphenous varicose veins. Eur J Vasc Surg 2006 Feb; 31; 2: 212-218.